Uma olhada dentro do novo escritório de comunicação We Are Humble em Melbourne, Austrália

A agência de comunicação We Are Humble contratou recentemente o escritório de arquitetura e design de interiores We Are Humble para projetar seu novo escritório em Melbourne, na Austrália.

common-state-melbourne-office-6
Corridor

“Neste escritório boutique adequado para a agência de comunicações Common State, queríamos manter a sensação de armazém aberto existente enquanto criávamos novas zonas dentro do espaço. Evitamos introduzir muita marcenaria fixa, deixando que os móveis sejam os elementos de destaque.

O núcleo central de serviços existente é aproveitado para dividir o espaço em terços; o público, o privado, com as zonas sociais ao centro. A cozinha comum separa as mesas de trabalho do ‘lobby lounge’ da frente e das salas de reuniões.

Projetamos cada intervenção para contrastar com o cinza e prata suaves do espaço existente. A área da mesa ao fundo do espaço é definida pela grade do painel acústico azul bebê suspenso acima. A cozinha é uma combinação de madeira e aço inoxidável, com um compartimento oculto bacana para guardar todos os eletrodomésticos quando os clientes visitam. Adjacente à cozinha, a pequena sala de projeção é criada puxando uma cortina acústica para protegê-la do resto do espaço. A sala de reuniões superior ou ‘a sauna’, como foi carinhosamente chamada, é totalmente revestida em compensado de madeira preta com um piso quente de marmoleum de terracota. É a única sala fechada no espaço, um santuário para onde desaparecer.

Escolhemos uma coleção de móveis de cores ousadas de uma coleção de designers locais para completar o espaço. Do macio sofá azul Dowel Jones às linhas nítidas do lounge Steelotto e aos caprichosos pingentes Coco flip, cada peça adiciona outro elemento de interesse ao espaço.”

  • Location: Melbourne, Australia
  • Date completed: 2022
  • Size: 2,368 square feet
  • Design: We Are Humble
  • Photos: Peter Clarke
common-state-melbourne-office-11
Lobby
common-state-melbourne-office-1
Breakout space
common-state-melbourne-office-15
Breakout space
common-state-melbourne-office-16
Kitchen / Communal space
common-state-melbourne-office-18
Corridor

NEVER TOO SMALL: Tokyo Architect’s Urban Sanctuary – 38sqm/409sqft

Set inside a simple 3.3.m x 10m white box with no windows and only one rectangular door, creating LoveHouse fulfilled architect Takeshi Hosaka’s dream to live in a house that feels like you are living outside. Entering the home, you’re greeted by a curved courtyard and outdoor staircase leading to the second floor of the house. The top, often used as a place to sit, read and drink coffee, leads into the main living space past a Griffiths Ash Tree and through a series of wooden framed glass pocket doors. The main living area is kept simple, with minimal furniture and only a candle for light. The adjoining kitchen accommodates a 2.7m counter, 3 burner gas stove, an integrated fridge and dishwasher neatly squeezed into a small space between the counter and the wall. The first floor, once the bedroom, is now used as a relaxation space, and also contains the toilet and bathroom. The home’s thoughtful design and indoor/outdoor lifestyle connect daily life with nature in a way seldom seen in cities.

Situado dentro de uma caixa branca simples de 3,3 m x 10 m sem janelas e apenas uma porta retangular, criando LoveHouse realizou o sonho do arquiteto Takeshi Hosaka de morar em uma casa que parece que você está morando do lado de fora. Ao entrar na casa, você é recebido por um pátio curvo e uma escada externa que leva ao segundo andar da casa. O topo, muitas vezes usado como um lugar para sentar, ler e tomar café, leva ao espaço principal, passando por um Griffiths Ash Tree e por uma série de portas de vidro com moldura de madeira. A sala principal é mantida simples, com móveis mínimos e apenas uma vela para acender. A cozinha adjacente acomoda um balcão de 2,7 m, fogão a gás de 3 bocas, geladeira integrada e máquina de lavar louça espremida em um pequeno espaço entre o balcão e a parede. O primeiro andar, que já foi o quarto, agora é usado como espaço de relaxamento, e também contém o banheiro e o banheiro. O design cuidadoso da casa e o estilo de vida interno/externo conectam a vida cotidiana com a natureza de uma forma raramente vista nas cidades.

00:00 – Introduction & Idea behind home 00:51 – The Location 01:05 – Floorplan 01:34 – Entrance 02:07 – Tree & Upper Floor 02:30 – Glass doors 02:53 – Main living space 03:28 – Kitchen 04:19 – Lower floor entrance 04:46 – Toilet 04:59 – Sleeping area & Storage 05:52 – Bathroom

Music: Recovery by Cloud Cover

Produced by New Mac Video Agency
Creator: Colin Chee
Director/Camera Operator: Nam Tran
Producer: Lindsay Barnard
Editor: Nam Tran & Colin Chee

Inside David Harbour & Lily Allen’s Brooklyn Townhouse | Open Door | Architectural Digest

Today Architectural Digest is welcomed to Brooklyn, New York by David Harbour and Lily Allen for a tour of their exuberant family townhouse. Working hand in hand with AD100 designer Billy Cotton and architect Ben Bischoff of MADE, Lily and David have created an exciting and singular home within their stately late-19th-century brownstone in Carroll Gardens. “Lily is someone who lives with color in a deeper way than most. Her taste is bold, silly, fun, eccentric—it’s exciting,” says the Stranger Things actor and star of the recent blood-splattered Christmas spectacular Violent Night. “I’ve always been interested in interiors, and I’ve always done my own homes. But this was a big undertaking, and I needed help.” says Allen. “Together, Billy and I tried to reach for something weird and wonderful.”

Hoje, a Architectural Digest é recebida no Brooklyn, em Nova York, por David Harbour e Lily Allen para um passeio por sua exuberante casa de família. Trabalhando de mãos dadas com o designer AD100 Billy Cotton e o arquiteto Ben Bischoff da MADE, Lily e David criaram uma casa emocionante e singular dentro de seu imponente brownstone do final do século XIX em Carroll Gardens. “Lily é alguém que vive com cores de uma forma mais profunda do que a maioria. O gosto dela é ousado, bobo, divertido, excêntrico – é empolgante”, diz o ator de Stranger Things e estrela do recente espetáculo de Natal manchado de sangue, Violent Night. “Sempre me interessei por interiores e sempre fiz minhas próprias casas. Mas era um grande empreendimento e eu precisava de ajuda.” diz Allen. “Juntos, Billy e eu tentamos alcançar algo estranho e maravilhoso.”

Shop David and Lily’s home style!

Wallpaper/Curtains
(Similar) Etsy Spring Flowers Birds Chinoiserie Wallpaper: https://fave.co/3HL6OO0
(Similar) Cath Kidston Greenwich Flowers Wallpaper: https://fave.co/3HITLga
(Similar) Cole & Son Mosaic Black and Gold Wallpaper: https://fave.co/3RjWOi6
(Similar) Pottery Barn Bamboo Unlined Shades: https://fave.co/3HLTlph

Rugs/Tables
(Similar) Wayfair Power Loom Red/Blue Rug: https://fave.co/3kZt2TF
(Similar) Poly & Bark Riley Marble Round Coffee Table: https://amzn.to/3RiMZkx
(Similar) Etsy Antelope Rug 100% Wool: https://fave.co/3kZIRtC

Lighting
CB2 Palm Brass Floor Lamp: https://fave.co/3wI8kdo
Daniela Chandelier by Ralph Lauren for Visual Comfort: https://fave.co/3HL1f2h
(Similar) Serena & Lily Larkspur Single Sconce: https://fave.co/3jgjCmm
(Similar) Serena & Lily Portola Double Sconce: https://fave.co/3kVSWYo
Lumens Applique à Volet Pivotant Sconce: https://fave.co/3jeMGKZ

Couches/Chairs
OKA Apadana Armless Chair Midnight Green: https://fave.co/3Yf7DUD
(Similar) Joss & Main Bari 91.25” Upholstered Sofa: https://fave.co/3kWrB8q
(Similar) Perigold Duralee London Slipcovered Armchair: https://fave.co/3HNb0x0
(Similar) Safavieh Couture Aimee Velvet Armchair: https://fave.co/3jj6hJM
(Similar) 1stdibs Maison Jansen Brushed Steel and Brass Armchair: https://fave.co/3wIyMDR

Etsy Microbe Cross Stitch Sampler 8×10: https://fave.co/3XOT0rs

When you buy something through our retail links, we earn an affiliate commission.

Director: Hiatt Woods
Director of Photography: Josh Herzog
Editor: Lika Kumoi
Talent: David Harbour, Lily Allen
Producer: Chase Lewis
Field Producer: Alyssa Marino
Associate Producer: Brandon Fuhr
Line Producer: Joseph Buscemi
Production Manager: Melissa Heber
Production Coordinator: Fernando Davila
Camera Operator: Christopher Alfonso
Audio: Gabe Quiroga
Production Assistant: Carina Greenberg
Post Production Supervisor: Alexa Deutsch
Post Production Coordinator: Ian Bryant
Supervising Editor: Doug Larsen
Assistant Editor: Diego Rentsch
Colorist: Oliver Eid

Uma olhada dentro da nova sede da Heist em Oakland, Califórnia

O estúdio criativo Heist contratou recentemente a empresa de arquitetura e design de interiores Medium Plenty para projetar sua nova sede em Oakland, Califórnia.

assalto-oakland-hq-office-9
Espaço de descanso

“O objetivo da reforma era criar um espaço acessível e flexível para uma variedade de atividades, incluindo a criação de campanhas visuais poderosas para criar conteúdo criativo na produção e pós-produção. O primeiro desafio foi ativar o armazém industrial vazio com um programa especializado de espaços colaborativos e elegantes que também poderiam ser usados ​​para envolver a comunidade do entorno por meio de eventos de bairro.

Os pisos de concreto existentes foram restaurados e selados. Outras características originais do armazém, como as vigas de metal expostas, foram preservadas para enquadrar as modernas “caixas brancas”, projetadas como suítes privadas para reuniões, espaço de filmagem, edição e finalização. A inserção de volumes no espaço foi uma solução chave para ajudar a quebrar o espaço e criar áreas dentro deles. A cozinha/sala de descanso, com mezanino adicionado acima, acrescenta metragem quadrada para preencher e definir o espaço, ao mesmo tempo que é permeável e funcional como uma área de reunião com vista para o espaço de trabalho abaixo.
Elementos de móveis personalizados foram fabricados, incluindo um banco de entrada angular, revestido com madeira quente, complementando outros materiais naturais usados ​​em grades, escadas e portas perimetrais da suíte. As salas fechadas com vidro e detalhes em madeira contornam o perímetro do espaço de pé-direito duplo para enfatizar a amplitude do ambiente. Espaços funcionais como o banheiro e a cozinha/sala de descanso foram concluídos em vários tons de rosa terroso para delineá-los do espaço de trabalho maior e aberto.

Um segundo desafio foi maximizar a luz e a abertura do espaço com um orçamento limitado. A solução de design foi incluir o máximo de envidraçamento possível na fachada principal com enormes portas de correr de vidro na entrada e na sala de conferências, o que torna os espaços interno/externo ainda mais conectados. Com uma fachada brilhante e substancial, essa escolha de design proporcionou uma abordagem acolhedora para os visitantes, atendendo à visão dos proprietários de um centro colaborativo e inclusivo.

Além disso, a equipe de design foi encarregada de criar um espaço comunitário seguro e convidativo. A fronteira borrada entre o exterior e o interior com portas de vidro é ainda mais acentuada por uma treliça ao ar livre que fica dentro de um pátio espaçoso, permitindo eventos públicos e privados, como noites de cinema ao ar livre no bairro, pop-ups de fornecedores locais e exposições de arte. As paredes exteriores, adornadas com arte local, criam um pátio protegido e seguro dos edifícios circundantes.”

assalto-oakland-hq-office-5
Espaço de descanso
assalto-oakland-hq-office-14
Entrada
assalto-oakland-hq-office-15
Espaço de descanso
assalto-oakland-hq-office-18
espaço colaborativo
assalto-oakland-hq-office-21
Corredor
assalto-oakland-hq-office-23
Escadaria
assalto-oakland-hq-office-25
Sala de reuniões
assalto-oakland-hq-office-1
Exterior

Verticalização da Rebouças, em São Paulo, desperta risco de imóveis vazios

Construção de escritórios e apartamentos de luxo contrasta com intenção de Plano Diretor
Tulio Kruse

0
Obra na avenida Rebouças, na zona oeste de São Paulo – Zanone Fraissat/Folhapress

SÃO PAULO – A paisagem da avenida Rebouças, na zona oeste de São Paulo, está em plena transformação com casas demolidas e torres com escritórios e apartamentos de alto padrão sendo erguidas. Mas essa tendência preocupa urbanistas. Na concepção do Plano Diretor, a intenção era tornar esse espaço mais acessível à população de média e baixa renda.

Conectando as avenidas Paulista e Faria Lima, a via atravessa uma das regiões mais ricas da cidade. De um lado estão quarteirões ocupados pelas casas de alto padrão do Jardim Paulistano. Do outro está Pinheiros, que concentra escritórios de grandes empresas e um dos circuitos de bares e restaurantes mais procurados da capital.

Hoje, um conjunto de quarteirões delimitado pela Rebouças e pelas ruas Teodoro Sampaio, Francisco Leitão e Cunha Gago reúne a maior quantidade de obras. Só nas áreas mais próximas à avenida a reportagem contou na última segunda-feira (2) ao menos 24 novos empreendimentos, entre aqueles praticamente completos, em construção ou terrenos com placas indicando a chegada de futuros edifícios.

Alguns escritórios em oferta chegam a mil m², e apartamentos, a mais de 160 m². Para especialistas, porém, há um risco de que boa parte desses imóveis fique vazia nos próximos anos —em uma cidade cujo déficit habitacional é estimado em 369 mil domicílios.

Nessa área, a verticalização foi incentivada pela prefeitura por causa da proximidade das estações de metrô –Oscar Freire e Fradique Coutinho da linha 4-amarela– e da existência de um corredor de ônibus na avenida. A intenção ao criar um zoneamento diferenciado era aproximar emprego e moradia e desestimular o uso do carro.

O conjunto de quarteirões em obras faz parte de um Eixo de Estruturação da Transformação Urbana, nome dado às áreas em que a gestão municipal pretende estimular o adensamento. O Plano Diretor, que é o conjunto de regras que organizam o crescimento da cidade, estipulou que essas áreas deveriam ter uma mistura de comércio, serviços e moradias destinadas a pessoas que usam prioritariamente o transporte público no dia a dia.

O QUE DIZ O PLANO DIRETOR

Conjunto de regras da cidade destinou áreas para verticalização e diversificação de renda

Localização
Áreas destinadas à expansão mobiliária e à oferta de serviços foram colocadas ao longo dos eixos do transporte público como corredores de ônibus, estações de metrô, trem e VLT

Objetivo
A estratégia para essas áreas inscrita no plano era estimular a construção de habitações para as diversas faixas de renda, o uso misto (comércio e moradia), oferta de serviços e ampliação dos espaços públicos

Nº de unidades
Uma das regras para estimular a diversificação das faixas de renda é a quantidade de unidades habitacionais mínima por espaço construído. Eixos como o entorno da Rebouças tem o maior número obrigatório de apartamentos por edifício, que equivale a um mínimo de 50 unidades a cada mil m²

Construção
Nessas áreas, o Plano Diretor também dá limites maiores para área de construção em empreendimentos que sejam de interesse social ou do mercado popular, destinados a pessoas de renda baixa e média

Quando as construtoras incluem unidades de HIS (habitação de interesse social) ou HMP (habitação de mercado popular) em seus empreendimentos, recebem o direito de construir ainda mais unidades. A HIS, mais comum, é destinada a famílias que ganham até seis salários mínimos (R$ 7.812) e o valor do imóvel para financiamento não pode passar de R$ 264 mil.

“O plano era trazer uma população que mora mais distante para essas áreas mais estruturadas. O que está ocorrendo é um efeito diverso do que se pretendia”, diz a diretora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Mackenzie, Angélica Benatti Alvim. “A cidade está se verticalizando e se transformando, mas [com o crescimento voltado] para empreendimentos de alta e média renda. Já tem bastante oferta. Será que temos tanta demanda? Quem está comprando são os investidores.”

A hipótese para a provável ociosidade, segundo urbanistas, é que a maior parte desses imóveis em construção na Rebouças não foi adquirida com a intenção de moradia, e sim por investidores.

Mapa da verticalização
Área ao redor de estações Fradique Coutinho e Oscar Freire tem estímulo para prédios mais altos; regra vale só para o lado par da avenida Rebouças

A hipótese para a provável ociosidade, segundo urbanistas, é que a maior parte desses imóveis em construção na Rebouças não foi adquirida com a intenção de moradia, e sim por investidores.

Junto com empreendimentos de luxo, há uma minoria de unidades de HIS, segundo o vice-presidente de assuntos legislativos e urbanismo do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), Ricardo Yazbek.

A tendência do mercado, segundo especialistas, é que elas sejam repassadas a um público com maior poder aquisitivo, sirvam como aluguel de curta temporada por meio de aplicativos ou fiquem vazias.

Edifício em construção na avenida Rebouças; urbanistas acreditam que parte dos empreendimentos pode ficar subutilizado
Edifício em construção na avenida Rebouças; urbanistas acreditam que parte dos empreendimentos pode ficar subutilizado Zanone Fraissat/Folhapress

No ano passado, a Folha mostrou que a Prefeitura de São Paulo não fiscaliza qual é o destino de apartamentos quando concede benefícios para construtoras que oferecem imóveis populares em seus empreendimentos.

“O que foi produzido, e para quem, nesse lugar? Essa pergunta é fundamental. Atraiu moradia popular para os usuários de transporte coletivo? A resposta é não”, afirma a arquiteta e urbanista Raquel Rolnik, professora da FAU-USP. “Do ponto de vista da cidade e dos objetivos urbanísticos, é inútil. E pior, é cruel, pois ainda existem pessoas precisando de moradia na cidade.”

Rolnik diz que, apesar de o plano original para essas áreas diminuir o incentivo para construção de garagens em prédios residenciais e de uso misto, a prefeitura teria permitido “gambiarras”: compensações que, na prática, garantiram vagas em garagens para as unidades mais caras. Seria outra distorção da lei, pois atrai carros para uma área onde esse modal deveria ser desestimulado.

Ricardo Yazbek, do Secovi-SP, diz acreditar que apartamentos e escritórios no local não ficarão ociosos. Para ele, o que garantirá a ocupação contínua desses imóveis é a atividade econômica movida a shows, eventos, turismo de negócios, congressos e a atração do setor de saúde a pacientes de outras regiões do Brasil.

Para ele, é natural haver uma minoria de HIS e HMP por ali, uma vez que se trata de uma das regiões com metro quadrado mais caro da cidade.

“Nessa região da Faria Lima, Jardins, Pinheiros, há bairros excelentes em que normalmente o custo do solo é caro”, ele diz. Os apartamentos menores, de até 25 m², “mesmo que não custem tão barato por metro quadrado [R$ 15 mil a R$ 20 mil], ficam mais acessíveis à classe média ou média baixa”.

As torres sendo construídas no lado par da Rebouças, em Pinheiros, contrastam com a calçada oposta. Ali, casarões do Jardim Paulistano estão abandonados e cercados por tapumes, com placas anunciando aluguel e venda dos imóveis.

É proibido construir prédios no lado ímpar da avenida devido ao zoneamento, que separa esse setor dos Jardins apenas de casas —inclusive com tombamento de parte do bairro devido ao valor histórico do bairro, planejado na década de 1910 pela Companhia City.

Com a multiplicação das torres a poucos metros de distância, tem aumentado um antigo interesse do setor imobiliário para que se libere a construção de prédios nos dois lados da Rebouças.

Segundo a Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras), o investimento na Rebouças está obedecendo a orientação do Plano Diretor e também a demanda de consumidores. “As regiões que estão se desenvolvendo são aquelas que possuem demanda da população e leis que permitem seu crescimento. A Rebouças é uma dessas”, disse a Abrainc.

REVISÃO

Questionada, a Prefeitura de São Paulo disse, por meio da Smul (Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento), que tem feito um “amplo e transparente diálogo com a população” sobre o Plano Diretor nas etapas da revisão obrigatória da lei. O prazo de entrega da revisão está marcado para o fim de março, após ser adiado três vezes.

A gestão municipal afirmou que um diagnóstico sobre o plano identificou que o licenciamento de unidades de HIS cresceu na cidade como um todo, o que inclui os Eixos de Estruturação da Transformação Urbana. Esse diagnóstico também apontou “uma distribuição heterogênea entre as macroáreas da cidade”, disse a secretaria.

A secretaria também destacou o número de unidades de moradia popular entregues. “Em 2021, foram 154.573 unidades aprovadas, o maior número desde 2013 e mais do que todas as unidades aprovadas entre 2013 e 2016. Em 2022, foram 103.753 até outubro.”

Sobre a destinação de moradia popular para outros públicos, a gestão Ricardo Nunes (MDB) disse, em outubro, que o proprietário ou possuidor do empreendimento apresenta declaração se responsabilizando expressamente pela correta destinação das unidades de habitação de interesse social e de mercado popular. Essa regra está prevista no Decreto nº 59.855, disse a gestão municipal à época.

Inside Viola Davis and Julius Tennon’s Nurturing Family Refuge | Open Door | Architectural Digest

Today Architectural Digest is welcomed to Los Angeles by actor-producers Viola Davis and Julius Tennon for a tour of their tranquil, newly-renovated family home. Davis and Tennon, along with their 12-year-old daughter, Genesis, lived in their Toluca Lake home for about five years before embarking on a renovation with LA designer Michaela Cadiz. “I always want to go big and bold, but not too bold, not garish,” says Davis, the acclaimed Oscar-, Emmy-, and Tony-winning actor and founder (with Tennon) of JuVee Productions, a company that develops film, television, theater, virtual reality, and digital projects. “We were working in South Africa, shooting The Woman King, while the renovation was unfolding, and we were inspired by the incredible color and culture there.

Hoje, a Architectural Digest é recebida em Los Angeles pelos atores-produtores Viola Davis e Julius Tennon para um tour por sua tranquila e recém-reformada casa de família. Davis e Tennon, junto com sua filha de 12 anos, Genesis, moraram em sua casa em Toluca Lake por cerca de cinco anos antes de embarcar em uma reforma com a designer de LA Michaela Cadiz. “Eu sempre quero ser grande e ousado, mas não muito ousado, não extravagante”, diz Davis, o aclamado ator vencedor do Oscar, Emmy e Tony e fundador (com Tennon) da JuVee Productions, uma empresa que desenvolve filmes , televisão, teatro, realidade virtual e projetos digitais. “Estávamos trabalhando na África do Sul, filmando The Woman King, enquanto a reforma acontecia, e fomos inspirados pelas cores e cultura incríveis de lá.

” Shop Viola and Julius’ home style!

Kitchen
Le Creuset 3 ½ Qt Braiser: https://fave.co/3ibnDaX
Le Creuset Craft Series Utensil Set: https://fave.co/3GETk68
(Similar) West Elm Faux Gingko Branch: https://fave.co/3IkdqUo

Genesis’s Room
(Similar) Crate&kids Chasing Paper White and Black Speckle Removable Wallpaper: https://fave.co/3idCQIK
(Similar) Crosley Mercury Record Player: https://fave.co/3VF2B2l
Serena & Lily Hanging Rattan Chair: https://fave.co/3Z8WXbB

Office
Restoration Hardware Calvin Left Closed Nightstand: https://fave.co/3GeGxWs
(Similar) Jenni Kayne Sur Square Coffee Table: https://fave.co/3Inr899
(Similar) Jaime Plaid Throw Pillow: https://fave.co/3WVGq94
(Similar) Quince Organic Airy Gauze Blanket: https://fave.co/3X0wDyw
(Similar) Safavieh Cassian Glass Table Lamp: https://fave.co/3Z7Xydv

Living Room
CB2 Horseshoe Black Lacquered Linen Coffee Table: https://fave.co/3i95ElJ
(Similar) Etsy Vibrant Beaded Hippopotamus: https://fave.co/3VF4pZb
Nuvolette Wallpaper Soft Grey Cole & Son: https://fave.co/3ibrzZh
(Similar) Etsy Chokwe Mask Mwana Pwo With Headdress African Art: https://fave.co/3vyLyo1
(Similar) Safavieh Darian Square Throw Pillow in Navy: https://fave.co/3WLZnvg
Jo Malone Wood Sage & Sea Salt Candle: https://fave.co/3Qh51CU
Antonia Lamp by Danny Kaplan: https://fave.co/3GEv8AD

Dining Room
Talia Large Glass Chandelier: https://fave.co/3X3dADB
(Similar) Oaktree Candlestick Set: https://fave.co/3WJ9i4M
(Similar) Suspended Glass Tealite Holder Hurricane: https://fave.co/3vB3i1R

Primary Bedroom
(Similar) Willy White Plaster Pedestal Side Table: https://fave.co/3GFaVuH
Arhaus Women Reflected Print: https://fave.co/3GFhgpS
(Similar) Etsy Zulu Beer Basket South Africa: https://fave.co/3vABOti
Regina Andrew Modern Glamour Carli Crystal Table Lamp: https://fave.co/3CixiDB

When you buy something through our retail links, we earn an affiliate commission.

Director: Winter Dunn
Director of Photography: Grant Bell
Editor: Lika Kumoi
Talent: Viola Davis, Julius Tennon
Producer: Chase Lewis
Line Producer: Joe Buscemi
Associate Producer: Landrie Hatcher
Production Manager: Peter Brunette
Production Coordinator: Carolina Wachockier
Camera Operator: Lucas Vilicich
Audio: Kari Barber
Production Assistant: Fernando Barajas
Post Production Supervisor: Alexa Deutsch
Post Production Coordinator: Ian Bryant
Supervising Editor: Doug Larsen
Colorist: Oliver Eid
Assistant Editor: Diego Rentsch

Um tour pelo novo escritório do LinkedIn em Dubai

A empresa de tecnologia LinkedIn contratou recentemente o escritório de arquitetura SAY Studio para projetar seu novo escritório em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

linkedin-dubai-office-19
Recepção

“Para a atualização da sede MENA do LinkedIn no Business Central Towers em Dubai, o SAY Studio inspirou-se na paisagem diversificada e na história da cidade. Por meio de cores, texturas, padrões e arte, a SAY projetou cada andar para conectar as pessoas umas às outras e com Dubai. Foi uma prioridade para a equipe de design criar uma comunidade de novas experiências que aproximasse os funcionários de suas equipes, os incentivasse a explorar o escritório e apresentasse elementos de design criativos que refletissem a cidade de Dubai.

O diretor-gerente do SAY Studio, Matthew Sexton, diz: “Clientes com foco no futuro adotaram o trabalho híbrido, mas o LinkedIn empurra o envelope por meio de seu ambiente de trabalho dinâmico. Seu local de trabalho oferece flexibilidade aos funcionários para trabalhar da maneira que eles precisam com uma mistura de espaços.

O LinkedIn oferece oportunidades para as pessoas criarem novos contatos e parcerias para torná-los mais produtivos e bem-sucedidos. O objetivo ao projetar sua sede regional atualizada é incorporar esses conceitos em espaços físicos que representam a missão do LinkedIn. Seu ambiente de trabalho dinâmico reúne equipes em bairros e oferece uma variedade de pontos de trabalho para permitir que a equipe escolha como trabalhar. Os gráficos, móveis e acabamentos marcam os espaços na história da cidade de Dubai.”

  • Localização: Dubai, Emirados Árabes Unidos
  • Data de conclusão: 2022
  • Tamanho: 40.000 pés quadrados
  • Projeto: SAY Studio
linkedin-dubai-office-1
Corredor
linkedin-dubai-office-4
Corredor
linkedin-dubai-office-3
Lugar divertido
linkedin-dubai-office-5
Sala de reuniões
linkedin-dubai-office-8
Espaço de descanso
linkedin-dubai-office-11
Espaço de descanso
linkedin-dubai-office-13
Espaço de descanso
linkedin-dubai-office-16
Espaço de descanso
linkedin-dubai-office-17
Salão
linkedin-dubai-office-20
Espaço de descanso

NEVER TOO SMALL: Easy, Breezy, Adaptable Small Apartment – Poland 32sqm/344sqft

Designed by Pigalopus architects to appear bigger than it is, but remain flexible to the owners needs, Lwowska 32sqm apartment is a breezy home for two and their dog. Located in Krakow close to the city centre, it sits within a developing neighbourhood, with large windows allowing a plentiful amount of sunlight into the home. To maintain this, the existing floor plan was unchanged, and instead flexible, movable furniture was added to the exterior walls, and a floor to ceiling bookshelf created to form a divider between sleeping, work and living spaces. With a projector screen hidden above it, and storage accessible from both sides, this unit functions as both general storage, TV unit and bedside table. Raising the bed itself also allows for additional storage underneath. In keeping with the flexible concept, the lighting is all installed on rails so it can be moved and added to as needed. In designing the home, Pigalopus fully embraced its future use, allowing it to be easily customised for its next owners.

Projetado pelos arquitetos Pigalopus para parecer maior do que é, mas permanecer flexível para as necessidades dos proprietários, o apartamento Lwowska de 32m² é uma casa arejada para dois e seu cachorro. Localizada em Cracóvia, perto do centro da cidade, fica em um bairro em desenvolvimento, com grandes janelas que permitem a entrada de bastante luz solar na casa. Para manter isso, a planta baixa existente permaneceu inalterada e, em vez disso, móveis flexíveis e móveis foram adicionados às paredes externas e uma estante do chão ao teto foi criada para formar uma divisória entre os espaços de dormir, de trabalho e de estar. Com uma tela de projetor escondida acima dela e armazenamento acessível de ambos os lados, esta unidade funciona como armazenamento geral, unidade de TV e mesa de cabeceira. Elevar a própria cama também permite armazenamento adicional embaixo. Seguindo o conceito de flexibilidade, a iluminação é toda instalada sobre trilhos para que possa ser movimentada e complementada conforme a necessidade. Ao projetar a casa, Pigalopus abraçou totalmente seu uso futuro, permitindo que ela fosse facilmente personalizada para seus próximos proprietários.

Eps 115
Project Name: Lwowska
Architect: http://pigalopus.pl

Produced by New Mac Video Agency
Creator: Colin Chee
Director: Nam Tran
Cinematographer: Slick Visuals
Producer: Lindsay Barnard
Editor: Sebastian Tibbs
Music: Rise by Sean Williams, Alyssum by Adi Goldstein

Um tour pelo novo escritório da Maersk em Gdynia, na Polônia

A empresa de logística Maersk contratou recentemente a empresa de design de local de trabalho Workplace para projetar seu novo escritório em Gdynia, na Polônia.

maersk-gdynia-office-9
Espaço de descanso

“Em vez de um espaço aberto típico, propusemos zonas de trabalho menores, separadas por vários elementos, como painéis acústicos, telas verdes, vegetação independente e cortinas acústicas. Proporcionam aos colaboradores a sensação de estarem no “seu” espaço, aumentam também o conforto acústico e visual, a capacidade de se concentrarem melhor nas tarefas do quotidiano.

Enriquecemos o espaço de trabalho com zonas de apoio com vários equipamentos, permitindo tarefas de natureza diferente do trabalho individual em uma mesa: networking, zonas de trabalho criativas, salas de foco, cabines telefônicas, nichos de trabalho. Além da tradicional mesa com cadeiras confortáveis, algumas delas também estão equipadas com móveis macios como sofás, poltronas caseiras, mas também com mesas “no alto” e com altura superior regulável. Os funcionários podem realizar uma reunião rápida, fazer um brainstorm, fazer uma videochamada ou apenas trabalhar individualmente de outras maneiras nesses locais. E quando chega a hora do descanso, eles têm à sua disposição uma ampla cozinha, onde podem sentar para almoçar e conversar juntos em uma grande mesa comum, ou “encostar” com 2-3 pessoas em mesas intimistas montadas pelo fachada, com vista para uma bela colina verde.

A base da paleta de cores do projeto é cinza claro e bege em tons variados. Nós o quebramos com padrões sutis e divisões lineares. O brilhante azul Maersk da empresa aparece, mas como uma adição discreta nas paredes e carpetes. Em áreas que não exigem foco intenso no trabalho, aparecem cores complementares e mais estimulantes: tons quentes de vermelho, laranja e amarelo.

Ao projetar o interior da Maersk, tentamos aproveitar ao máximo a madeira natural “viva”, que cria uma atmosfera de calor caseiro e uma certa nobreza de material que confere uma beleza atemporal. Utilizamos principalmente em elementos que os usuários sempre têm à vista e tocam com frequência: em frentes de armários e móveis planejados, estantes, design de cadeiras e revestimentos de paredes. Introduzimos também materiais de acabamento que não são de madeira, mas que permitem reforçar a sensação de estarmos rodeados por superfícies naturais e quentes (cortiça natural, tectos em lã de madeira, painéis de mdf com “chip” visível, estofos em tons de areia e bege, detalhes em juta e vime em vasos e luminárias).”

  • Localização:Gdynia, Polônia
  • Data de conclusão:2022
  • Tamanho:13.444 pés quadrados
  • Projeto: Local de trabalho
  • Fotos:Adam Grzesik
maersk-gdynia-office-1-2
Recepção
maersk-gdynia-office-5
Salão
maersk-gdynia-office-1
Saguão
maersk-gdynia-office-2
Sala de reuniões
maersk-gdynia-office-7
Sala de reuniões
maersk-gdynia-office-4
Cápsulas de trabalho
maersk-gdynia-office-8
espaço colaborativo
maersk-gdynia-office-10
espaço colaborativo
maersk-gdynia-office-12
Espaço de descanso